Início | Cantinho Rasta | Música no Rádio | Ras.Bhenda | Fotos | Contacto
Última actualização:

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

O que é que eu queria da vida... parte 2

Um passeio de 3 amigos aos muros da Cidade Universitária veio trazer-me o fim do mundo, quando os meus planos desmoronaram e fiquei apenas com os cacos...

Pois é, o menino que sempre tinha tido boas notas, que nunca sequer tinha posto a hipótese de algo diferente do que ir para a faculdade, estudar biotecnologias, descobrir o código genético, e outras coisas, embateu contra uma parede. Uma parede na Reitoria da Universidade de Lisboa que dizia "Não colocado". [leia mais...]


Aquele foi o meu mais terrível confronto com o fracasso... não entrei... Ri que nem um perdido por não ter entrado, gozei com o meu amigo por ele ter entrado... Mais tarde olhava enquanto o via a entrar numa vida de faculdade, elogiado por todos, invejado por um... eu! Em casa passei de bestial a besta...

Não sabia fazer mais nada, por isso decidi voltar para a escola, a dor da rejeição e do fracasso faziam-me olhar para tudo de maneira diferente. Já não ria, nem sequer sorria. Rapei o cabelo.

Olhava para os colegas que eram um ano mais novos que eu, e pareciam-me a anos luz de mim. Caramba, que sabiam eles do tormento que eu tinha passado! As longas horas de estudo, a incerteza, tão perto da adultidade... Não eles não sabiam. Andavam de "cueiros", debatiam-se com as notas do 12º. Não sabiam nada!

Os meus dias eram assim preenchidos pela amargura, afastei-me da minha velha vida, amigos, lugares, hábitos. Evitei tudo o que me lembrasse do meu fracasso, mas cada vez que ia para a escola voltava a saborerar a derrota, era um fraco, um incompetente que nem sequer tinha entrado na faculdade.

De vez em quando falava com o meu amigo, ouvia as suas histórias, as festas, as pessoas, o conhecimento, outra dimensão de vida, e eu... aqui.

Mas ninguém vive sozinho, e o calor de um sorriso pode enxugar um rio de lágrimas... (continua)
[leia menos...]

4 comentários:

Sayuri disse...

Se eu não soubesse como termina a historia, estava já lavadinha em lágrimas...

Andy disse...

Rapaste o cabelo?!?!?!
Epá isso não!

"andavam de cueiros"...foi brutal, adorei!

Caluda disse...

Há males que vêm por bem... num é verdade?
E o cabelo até ficou mais forte depois, certo?
Quero ler mais!

steppebird disse...

Pois, trazes-me muitas memórias antigas...

O preço de ter entrado na faculdade foi o sofrimento do meu irmão, acompanhado do respectivo sentimento de culpa, e a distância que isso gerou entre nós, até então desconhecida.

Isso ao mesmo tempo que a revolução social da vida de faculdade e mais umas quantas crises de identidade... ufa!