Início | Cantinho Rasta | Música no Rádio | Ras.Bhenda | Fotos | Contacto
Última actualização:

terça-feira, 6 de outubro de 2009

O que é que eu queria da vida...

Ui... comecei por escrever o título, e acho que já fiquei enrascado... Quer dizer, posso sempre responder coisas simples, como: felicidade, saúde, amor, prosperidade... Será?!...[leia mais...]


Durante muitos anos a minha vida tinha uma direcção inequívoca. Queria ser médico! Um desejo igual a ser astronauta, ou bombeiro, não fosse o facto de no mesmo momento em que verbalizei esta vontade, alguém me respondeu que o meu pai tinha sido um grande médico, que toda a gente gostava dele, ("como seria bonito eu seguir as suas pisadas!", pensava eu).

Tenho consciência que essa foi a minha primeira grande escolha. Deixou de haver espaço para outras opções, nem letras, onde me perdia horas a ler e a imaginar; nem desporto, onde evoluía sempre de maneira notávle; nem música...nada. Aos 5 anos já sabia para onde ia. Fui afunilando, de médicina a química aplicada às biotecnologias, do estudo dos homens, ao estudo do microhomem. Tudo era claro e simples, nunca chumbei, nunca hesitei na escolha das minhas áreas, a confusão que outros sentiam éra-me estranha... como podiam não saber o que queriam fazer... Não é que quisesse ser o melhor aluno, apenas já sabia o que fazer... e as aulas não eram assim tão difícieis.

Um passeio de 3 amigos aos muros da Cidade Universitária veio trazer-me o fim do mundo, quando os meus planos desmoronaram e fiquei apenas com os cacos... (continua)
[leia menos...]

3 comentários:

Mag disse...

Mas espera lá... para mim, saber-se o que se quer da vida é uma das perguntas mais pertinentes e mais difíceis de responder! Ou não fossemos nós seres em constante evolução (biológica, emocional, espiritual), o que contribui para modificar, a todo o instante, o caminho que pensávamos ter traçado para nós!...
É claro que há sonhos que permanecem impressos em nós, tatuados, aqueles que fazem parte da mobília de quem somos. Mas muitos, muitos, vão-se construindo e destruindo à medida que também nós nos construímos e destruímos, e nos suplantamos.
Não é assim? (ui que tenho andado a "navegar"... not again... loooool) ;)

Sayuri disse...

Eu bem me parecia que aquela Cidade Universitária não trazia coisas boas... bem que me enganou, a sacana!

P.S.: O titulo dos meus posts só vem depois do texto :)

Lopes (Henda) disse...

É verdade os sonhos são como nuvens cor-de-rosa, às vezes sonho, outras pegajosas... é importante saber quais queremos, quais é hora de deixar...